Publicado por: ceercomunicaciencia | 27/04/2011

“Moléculas Magníficas” em exposição

Será possivel apaixonar-se pela beleza de uma enzima?
O mundo que nos rodeia está preenchido de pequenas mas fascinantes moléculas, construídas à escala do nanómetro (1nm = 10-9 m), que são capazes de executar de uma forma espontânea e programada todas as tarefas essenciais à manutenção da vida. Estas nanomoléculas existem nas mais variadas formas de vida e a sua dimensão pode variar entre várias dezenas de átomos até milhares de átomos, formando estruturas complexas e bizarras.

Em celebração do Ano Internacional da Química, o Departamento de Química e Bioquímica da Faculdade de Ciências da Universidade do Porto promove a Exposição de Arte em Ciência – “Moléculas Magníficas”.

 
Nesta exposição são expostas imagens originais de forte impacto visual obtidas a partir da estrutura tridimensional dos alvos biológicos, aliando arte e ciência numa agradável mistura pensada para todas as idades e os mais variados públicos.
A visualização destas estruturas é impossível, mesmo recorrendo ao mais potente microscópio electrónico, mas, felizmente, durante o século XX, vários cientistas desenvolveram técnicas de difracção de raios X que permitem identificar o tipo de átomos presentes nestas estruturas, bem como a sua localização no espaço. Esta informação permite construir modelos tridimensionais destas estruturas, que são uma fonte importante e imprescindível para o conhecimento dos mecanismos que regulam os organismos vivos.
Estes nano-robôs são uma presença constante no nosso quotidiano e muitas vezes nem damos importância à sua presença. É o caso das enzimas que aceleram determinadas reacções químicas, dos anticorpos aos quais cabe a tarefa de identificar e eliminar os agentes invasores (vírus e bactérias) do nosso corpo, as hormonas que asseguram a transmissão de informação entre células, etc. Mas existem mais, muito mais estruturas… Por exemplo, numa célula humana podemos encontrar em média 3000 proteínas diferentes. Curiosamente estas moléculas são constituídas essencialmente por átomos de carbono, azoto, oxigénio, enxofre e hidrogénio. É curioso pensarmos como é que a natureza evoluiu de forma a usar e combinar estes elementos tão simples para formar moléculas tão complexas…
Estas estruturas são importantes para a grande generalidade dos trabalhos em desenvolvimento no grupo de Bioquímica Teórica e Computacional, do Departamento de Química e Bioquímica da Faculdade de Ciências da Universidade do Porto. 

As “Moléculas Magníficas” vão estar em exposição de 1 a 30 de Maio, na Fundação José Rodrigues (Rua da Fábrica Social, 4000-201 Porto) ER/FCUP 

Consultar aqui mais informações

Advertisements

Deixar unha resposta

introduce os teu datos ou preme nunha das iconas:

Logotipo de WordPress.com

Estás a comentar desde a túa conta de WordPress.com. Sair / Cambiar )

Twitter picture

Estás a comentar desde a túa conta de Twitter. Sair / Cambiar )

Facebook photo

Estás a comentar desde a túa conta de Facebook. Sair / Cambiar )

Google+ photo

Estás a comentar desde a túa conta de Google+. Sair / Cambiar )

Conectando a %s

Categorías

%d bloggers like this: